Maionese ou Outra Coisa

Confeccionada a partir da emulsão de óleo e ovos e enriquecida com o sabor de vários temperos, a maionese tem origens datadas de meados do século XVIII, na Europa meridional. Excelente acompanhamento para diversas classes de comidas (do pão de batata ao frango assado), encontra seu ápice do sabor quando misturada ao molho de mostarda e sutilmente derramada em cima da batata palha.A Espanha diz deter o pioneirismo maionesístico, no entanto, há relatos de que os franceses foram os primeiros a utilizar o molho. Não podemos saber ao certo o que ocorreu na época, porque há de se falar fluentemente o francastalão (francês + castelhano + catalão) para conseguir traduzir fielmente todos os mais de 250 mil documentos acerca da Maionese encontrados entre o Toulouse e Barcelona nos últimos dois séculos. Sabe-se que Portugal foi proibido, durante a Assembleia de Condimentos de Origem Europeia em 1839, de se pronunciar sobre o assunto, mesmo com todos os deliciosos pratos que são capazes de preparar utilizando a Maionese como base, pois, segundo transcrição feita através do tradutor Google de línguas mortas, “não pode haver roubo de protagonismo”.

Ontem comemos cheeseburgers do Joakins, depois de uma ótima festa entre nossos chegados e, ao recebermos uma pequena quantidade de maionese em um potinho, iniciamos uma interessante reflexão. Felipe clama que, sim, os Portugueses devem ter o total direito de dar pitacos a respeito da invenção da maionese pois, como nação pertencente ao continente europeu, e ao mundo, e portadora de opiniões próprias e bocas, deveriam ser capazes de engordar a discussão e, de repente, poderiam até ser o pivô de uma reconciliação entre as duas partes. Num mundo perfeito, a maionese é consumida em larga escala, por países dos 6 continentes (até mesmo pelos esquimós, eu presumo) e não há disputa sobre quem é o protagonista do pioneirismo da descoberta do “puro suco do ovo”, para citar o próprio Felipe. Se temos papilas gustativas, não há nada que possa impedir o livre consumo da maionese sem a preocupação de quem a detém como principal invento e qualquer discussão que ultrapasse essa linha de pensamento faz-se irracional e deve ser tratada como uma afronta à diplomacia e aos bons costumes. Concordo, como batata smile sendo engolida por umas 100 gramas do assunto da noite, e bocejo. Felipe é sábio. Sabe reconhecer a ignorância de quem briga por pouca coisa e deslegitima uma causa nobre e digna de consideração, feito o caso da maionese, visto o quanto ela lutou para ser reconhecida, depois da invenção do catchup.

Felipe está certo. Não importa quem inventou a maionese mas sim todos os benefícios que ela pode nos trazer: Diminui a ingestão calórica das refeições, dá a sensação de maior saciedade (os lipídios têm digestão mais lenta), evita excessos nos próximos alimentos e é gostosa pra caralho.(Fonte: Revista Corpo a Corpo da Editora Escala).
Não, espera.
Tenho a impressão de que não era sobre maionese que gente tava falando.